domingo, 13 de maio de 2012

Trecho 1

Capítulo 1 


Contarei uma história que à primeira vista parece com muitas das que já vimos e ouvimos falar. Aparentemente feita de encontros e desencontros, daquelas em que o destino insiste em manter os caminhos afastados. No início você achará tudo muito bonito e até rirá. Eu lhe garanto, no entanto, que chorará com alguns dos meus relatos.

Muitas vezes dizemos “eu te amo” da boca para fora. Os jovens têm uma estranha tendência de estarem sempre amando. O primeiro amor, porém, é sempre avassalador e deixa marcas profundas em muitos. Você acha que nunca amará novamente e que aquela desilusão parece o final de tudo. As marcas nos acompanham por toda vida e temos a certeza de que aquele amor será para sempre. Assim aconteceu comigo e é isso que pretendo te contar. Primeiro você precisa saber como tudo começou. Só assim será capaz de entender que “para sempre” tem um significado muito mais intenso para mim do que pode imaginar.

Quando Justin disse que era “para sempre” havia verdade em suas palavras. Assim como o “eu te amo” tocou o meu coração, eu também acreditei que seria assim. Mesmo depois de tudo o que nos aconteceu, as palavras dele continuavam ecoando em minha mente. Anos se passaram e as lembranças eram apenas remotos flashes em minha mente. Algumas vezes muito vívidas e outras apenas lembranças passageiras de um bom tempo. Às vezes acordava sonhando e sorria com as lembranças... Era tão real. Mas eu não acreditei que aquelas palavras, aparentemente meras palavras, ditas por crianças, não fossem verdadeiras. Ao pronunciá-las, ele as disse com verdade. E eu permaneci acreditando toda a minha vida. Foi a minha fé nesse amor que me manteve durante nossa separação de dez anos. Foi fé em um garoto que olhava para mim como se fosse a coisa mais preciosa do mundo... Sim! Fé! Essa palavra nos acompanhou e ativou a nossa esperança. Acredito que foi ela que deu uma mãozinha para o destino e fez os nossos caminhos se reencontrarem novamente. Ela nos manteve vivos por todos esses anos e nos tornou o que somos. Foi isso que ensinamos para os nossos filhos e netos... Nunca abandonar a fé. Seja nas pessoas, mas promessas ou nos milagres de Deus.

Muitos anos se passaram desde o nosso último encontro. Foi com lágrimas nos olhos que ele me disse: “Até algum dia”. E mesmo naquele momento, sim...  Mesmo assim eu acreditei. Você pode achar que sou uma louca apaixonada. Veja bem, naquela época eu era só uma criança. Eu não tinha completado quatorze anos e só queria amar. Doía tanto dizer adeus. Acho que foi a coisa mais difícil que já fiz na minha vida. Mesmo assim eu acreditei quando Justin me disse com a voz chorosa: “Eu te amo! Nosso amor será para sempre”. Seus lábios quentes e úmidos tocaram a minha testa naquele beijo de despedida, enquanto as lágrimas molhavam o meu rosto. Ele não queria ir, mas não tinha alternativa. Seguir seus pais era o seu dever e foi isso que fez ao dizer adeus, deixando-me para trás com o coração partido. Ali eu entendi o real significado da palavra saudade.

Fiquei na beira da calçada, vendo-o entrar no carro e tocar o vidro com  as duas mãos abertas. Sua face era de dor. Aquilo só fez meu coração doer ainda mais. Enquanto o carro se afastava, li em seus lábios as últimas palavras: “Para sempre”.

Agora, mesmo após uma vida inteira de amor —sessenta e nove anos— olho para ele deitado sobre a cama, e mesmo diante das circunstâncias que vivemos, ainda tenho as mesmas palavras em meus lábios... “Eu te amo, meu querido. Nosso amor será para sempre”.

Como disse o poeta: “Que seja eterno enquanto dure!” O “pra sempre” sempre acaba, mas continuaremos a viver o nosso amor enquanto houver vida.

1 comentários:

Cantinho da Glaucia disse...

Nossa que lindo! Eu li apenas um pedacinho e já adorei sua historia, que promete ser surpreendente mesmo viu! O bom de falar de amor é que todos nós temos noções e experiencias diferentes! Então eu sempre acho inspirador e interessante! Parabéns.

Postar um comentário